Aparecida e a Comunicação

O ponto de partida para a nossa reflexão deve ser a carta apostólica “O rápido desenvolvimento”; de João Paulo II, promulgada em 24 de janeiro de 2005, pois ela trata das comunicações sociais.

No inicio desta carta o papa diz: “A nossa época é uma época de comunicação global, onde muitos momentos da existência humana se desenrolam através de processos mediáticos, ou pelo menos, se devem confrontar com eles”.

Acentua ainda que: “O rápido desenvolvimento das tecnologias no campo da mídia é certamente um dos sinais do progresso da sociedade de hoje. Olhando para estas novidades em constante evolução, torna-se ainda mais atual o que se lê no Decreto do Concílio Ecumênico Vaticano II Inter mirifica, promulgado por Paulo VI, a 4 de Dezembro de 1963: ‘Entre os maravilhosos inventos da técnica que, principalmente nos nossos dias, o engenho humano extraiu, com a ajuda de Deus, das coisas criadas, a Santa Igreja acolhe e fomenta aqueles que dizem respeito, principalmente, ao espírito humano e abriram novos caminhos para comunicar facilmente notícias, idéias e ordens’.”

E observa que: “na Carta encíclica Redemptoris missio quis realçar que o primeiro areópago do tempo moderno é o mundo da comunicação, capaz de unificar a humanidade tornando-a como se costuma dizer ‘uma aldeia global’. Os meios de comunicação social alcançaram tal importância que se tornaram, para muitos, o principal instrumento de guia e de inspiração para os comportamentos individuais, familiares e sociais. Trata-se de um problema complexo, visto que esta cultura nasce, ainda antes do que dos conteúdos, do próprio fato que existem novos modos de comunicar com técnicas e linguagens inéditas.”

O documento de Aparecida dá continuidade a todos os ensinamentos que o antecedem, fazendo uma reflexão sobre o primeiro areópago do tempo moderno o mundo da comunicação, citado acima, e que foi também um dos destaques da Conferencia de Santo Domingo.

A Pastoral da Comunicação faz parte do Capitulo X – Nossos Povos e a cultura, que trata da cultura e sua evangelização, destacando a grande pluralidade cultural que existe na América Latina e no Caribe, e pede aos cristãos que diante desta pluralidade cultural tenham verdadeira empatia e postura critica.

Este capítulo é fundamental, pois a cultura atual é, de fato, altamente midiática. Assim o documento alerta, citando João Paulo II, para o fato de que “a fé só é adequadamente professada, entendida e vivida, quando penetra profundamente no substrato de um povo”.

Afirma que “a cultura é importante para a evangelização, pois a salvação trazida por Jesus deve ser luz e força, para os anseios e pra as questões presentes nas múltiplas culturas”.

Aponta serenamente as luzes e sombras da cultura atual que se confronta com o patrimônio cultural latino americano e caribenho, fruto de uma história de 500 anos de cristianismo.

Uma das sombras, com a qual nos deparamos, é o individualismo, responsável pelo relativismo ético, e pela crise da família, conseqüentemente pela banalização da vida. Diante deste quadro, alerta o documento que é necessário resgatar a antropologia cristã, “apresentar, novamente, a pessoa humana como o centro de toda a vida social e cultural, resultando nela: a dignidade de ser imagem e semelhança de Deus e a vocação de ser filhos no Filho, chamados a compartilhar sua vida por toda a eternidade”.

Elucida o papel dos fiéis cristãos ao afirmar que: “O anúncio do Evangelho não pode prescindir da cultura atual. Esta deve ser conhecida, avaliada e em certo sentido assumida pela Igreja, com linguagem compreendida pelos nossos contemporâneos. Desta maneira: os cristãos, com os talentos que receberam, talentos apropriados deverão ser criativos em seus campos de atuação: o mundo da cultura, da política, da opinião pública, da arte e da ciência”.

Tendo em vista que estamos vivendo uma época de mudanças e uma mudança de época, devido à revolução tecnológica e aos processos de globalização, que formatam o mundo atual como uma grande cultura midiática; orienta dizendo que “é necessário capacitar-se para reconhecer as novas linguagens para favorecer maior humanização global”.

Assim “em nosso século tão influenciado pelos meios de comunicação social, o primeiro anúncio, a catequese ou o posterior aprofundamento da fé não podem prescindir desses meios”.

A Conferência de Aparecida vem valorizar e revalorizar a Pastoral da Comunicação, pois assegura quanto ao uso destes instrumentos “colocados a serviço do Evangelho, eles oferecem a possibilidade de difundir quase sem limites o campo de audição da Palavra de Deus, fazendo chegar a Boa Nova a milhões de pessoas. A Igreja se sentiria culpada diante de Deus se não empregasse esses poderosos meios, que a inteligência humana aperfeiçoa cada vez mais. Com eles, a Igreja ‘proclama a partir dos telhados’ (cf. Mt 10,27; Lc 12,3) a mensagem de que é depositária. Neles, encontra uma versão moderna e eficaz do ‘púlpito’. Graças a eles, pode falar às multidões”.

Ao comentar que o anúncio do Evangelho não pode prescindir da cultura atual deixa claro que é pelo fato de que nosso século é altamente influenciado pelos meios de comunicação social, por isso, “o primeiro anúncio, a catequese ou o posterior aprofundamento da fé, não podem prescindir desses meios”.

E conclui dizendo: “colocados a serviço do Evangelho, eles oferecem a possibilidade de difundir quase sem limites o campo de audição da Palavra de Deus, fazendo chegar a Boa Nova a milhões de pessoas. A Igreja se sentiria culpada diante de Deus se não empregasse esses poderosos meios, que a inteligência humana aperfeiçoa cada vez mais. Com eles, a Igreja ‘proclama a partir dos telhados’ (cf. Mt 10,27; Lc 12,3) a mensagem de que é depositária. Neles, encontra uma versão moderna e eficaz do ‘púlpito’. Graças a eles, pode falar às multidões”.
A formação de discípulos neste âmbito pastoral é tão séria que os Bispos se comprometeram a acompanharem os comunicadores dizendo que irão procurar:

– Conhecer e valorizar esta nova cultura da comunicação.

– Promover a formação profissional na cultura da comunicação de todos os agentes e cristãos.

– Formar comunicadores profissionais competentes e comprometidos com os valores humanos e cristãos na transformação evangélica da sociedade, com particular atenção aos proprietários, diretores, programadores e locutores.

– Apoiar e otimizar, por parte da Igreja, a criação de meios de comunicação social próprios, tanto nos setores televisivos e de rádio, como nos sites de Internet e nos meios impressos.

– Estar presente nos meios de comunicação de massa: imprensa, rádio e TV, cinema digital, sites de Internet, fóruns e tantos outros sistemas para introduzir neles o mistério de Cristo.

– Educar na formação crítica quanto ao uso dos meios de comunicação a partir da primeira idade.

– Animar as iniciativas existentes ou a serem criadas neste campo, com espírito de comunhão.

– Promover leis para criar nova cultura que protejam as crianças, jovens e as pessoas mais vulneráveis para que a comunicação não transgrida os valores e, ao contrário, criem critérios válidos de discernimento.

– Desenvolver uma política de comunicação capaz de ajudar tanto as pastorais de comunicação como os meios de comunicação de inspiração católica a encontrar seu lugar na missão evangelizadora da Igreja.

Quanto à Internet, deve ser vista à luz do Concilio Vaticano II como uma das maravilhosas invenções da técnica; é um meio e não um fim em si mesmo, devendo ser utilizada, com competência e discernimento, é um instrumento magnífico de evangelização.

Alerta sobre os meios de comunicação em geral que estes não substituem as relações pessoais e comunitárias e, em particular aos pais, quanto ao uso da Internet, pelos filhos, que seja sempre para a complementação e formação educacional e moral, sendo sempre orientados por uma reta consciência.

Sugere às Paróquias, comunidades, centros culturais e instituições católicas estimular a criação de pontos de redes e salas digitais para promover a inclusão, sendo criativos e tendo um olhar positivo.

Concluindo, sabemos que “Nos meios da comunicação a Igreja encontra um apoio precioso para difundir o Evangelho e os valores religiosos, para promover o diálogo e a cooperação ecumênica e inter-religiosa, assim como para difundir aqueles princípios sólidos que são indispensáveis para construir uma sociedade respeitadora da dignidade da pessoa humana e atenta ao bem comum. Ela compromete-os de bom grado a fornecer informações sobre si mesma e a dilatar as fronteiras da evangelização, da catequese e da formação e considera o seu uso como uma resposta ao mandamento do Senhor: “Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16, 15)”.

O primeiro areópago dos tempos modernos é – e continua sendo – cada vez mais o mundo da comunicação. Eis aí a importância da formação de – e para – uma Pastoral da Comunicação estruturada, organizada, criativa, que utilize a linguagem da cultura atual, animada por um profundo espírito evangelizador e missionário tanto no âmbito Diocesano como Paroquial.

Mirian Nilvea Cantoni Berardo

Anúncios

Feliz dia das mães!

Hoje,primeiramente agradecemos ao Nosso Senhor,pela benção da data.Dia das mães( sendo que,todos os dias são ) juntamente com a intercessão de Nossa Senhora de Fátima!

Mãe é única , amá-la já é suficiente.Não precisa por muitas vezes,queremos entendê-la.
Simplesmente amar…
Carinho de mãe é único,o amor é único,a experiência da maternidade é única.E tudo isso porque ela tem a capacidade de
Simplesmente amar…
Deus é completamente inteligente,sabe de tudo,e sabe também que nós temos que valorizá-la o tempo que estiver aqui,pois um dia ela se vai.E Ele logo as levará pra perto…

Pedir a benção para uma mãe,é Deus abençoando…olha a grande dádiva e poder uma mãe tem.
Seja quem for,como for,como se comporte…a única coisa que sabem fazer é amar.

Aos que não tem a mãe mais aqui viva,tenha a completa ciência de que,ela está viva dentro de você.Nossa Senhora também é a sua mãe,mãe de todos nós,não é mesmo?

Que o Senhor Jesus,pela intercessão de Nossa Senhora de Fátima,possa abençoar todos vocês,todas as mães e todas as famílias!

Vamos amar mais.É a nossa vocação!

http://www.youtube.com/watch?v=UcY8TJygano&feature=related

Abraço Fraterno,

Equipe PasCom

Oração à Nossa Senhora de Guadalupe

Santíssima Mãe de Guadalupe,
que mostrastes vosso amor
e vossa ternura
aos povos do continente americano,
cumulai de alegria e de esperança
a todos os povos
e a todas as famílias do mundo

A Vós, que precedeis
e guiais nosso caminho de fé
rumo à pátria eterna,
encomendamos as
alegrias, os projetos,
as preocupações e os anelos
de todas as famílias

Oh Maria, a Vós recorremos
confiando em vossa ternura de Mãe.
Não deixeis de ouvir
as preces que vos dirigimos
pelas famílias de todo o mundo
neste crucial período da História,
pelo contrário, acolhei-nos
em vosso coração de Mãe
e acompanhai-nos em
nosso caminho
rumo à pátria celeste. Amém.

Que possamos colocar em intenção a vida dos jovens que estiveram no 15º TLC da Paróquia de Todos os Santos, neste final de semana que sejam abençoados e guiados sempre pelo compromisso de evangelizar e levar a palavra onde o testemunho é dado com a propria vida e com as experiencias.

“Leva-me as águas profundas
Aviva-me de novo,Senhor”

Equipe PasCom

Foi por você, foi por amor a todos

A 12º Encenação da Paixão de Cristo aconteceu ontem dia 06 de abril, na Paróquia de todos os Santos localizada na Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia, Embu das Artes e contou com a participação de muitos fiéis. Referencia na Forania de Embu, a encenação contou com a participação de 87 atores e 18 pessoas na organização. Com o apoio da guarda metropolitana fazendo a segurança e organizando o transito, a prefeitura de Embu das Artes que disponibilizou as cadeiras e o vereador Professor Silvino.

“Acreditamos sempre na misericórdia de Deus e que tudo vai dar certo como sempre, estou calma com relação a encenação”, destaca Milena Prado, participa a 7 anos e neste ano esteve a frente da organização.
O elenco encenou com emoção e dedicação a passagem de Jesus Cristo na terra, morte e ressurreição.
“A encenação sempre é muito boa, estou gostando bastante este ano”, conta Graça Dantas, participante da Paróquia de Todos os Santos e assistiu a encenação.
Bastidores
O elenco iniciou o dia da apresentação em preparação com a espiritualidade com o Padre Esmeraldo Diniz pela manhã, e logo após dividiram as tarefas na organização de palco, cenário e roupas e contou com a dedicação e empenho de todos que auxiliaram cada um a seu modo.
Pela tarde, aconteceu o último ensaio que antecedeu a encenação cena a cena foi trabalhada e corrigindo eventuais erros, o elenco composto parcialmente com pessoas encenando pela primeira vez em palco.

“Tenho muitas expectativas boas, por ter pessoas novas que querem novos desafios criando um personagem. Estou tranquilo para apresentação a noite”, afirma Joelmes Ferreira, atua a três anos e neste ano fez o papel de Herodes.

12º Encenação da Paixão de Cristo

Momento de reflexão e emoção marcará a 12º encenação da Paróquia de Todos os Santos
Um dos momentos mais bonitos vivenciados pela igreja católica é relembrar a trajetória de Jesus Cristo na terra, os milagres e curas para os fiéis é um momento de emoção no qual sentem o amor de Cristo por toda a humanidade.


A tradicional encenação da Paixão de Cristo acontece há 12 anos na Paróquia de Todos os Santos – localizada na Rua Capri, 53 Jardim Santa Emilia no Embu das Artes. E é referencia da forania de Embu, destaca-se pela estrutura disponibilizada pela prefeitura da cidade, mas também pelo empenho e dedicação dos envolvidos na apresentação. São longos 4 meses de preparação e trabalho intenso, neste ano conta com a participação de 87 atores e 18 pessoas na organização.
“O apoio acima de tudo é da paróquia como um todo e o Padre Esmeraldo Diniz nos deu todo o apoio, também o presidente da câmara Vereador Profº Silvino junto com a Rosana dos Santos Almeida e é por meio deles que conseguimos o palco com toda a estrutura e som, temos também o apoio da prefeitura junto com a guarda municipal e da policia militar para fazer toda a segurança”, ressalta Claudineio Pereira, organizador e diretor da encenação.
Os ensaios aconteceram todos os domingos nas Comunidades de Santa Emilia e do Senhor Bom Jesus, e as dificuldades foram muitas, principalmente a falta de pessoas para encenar. “Umas das dificuldades é a parte financeira, porque a paróquia não tem condições de ajudar. E a outra dificuldade são as próprias pessoas participar, pois a encenação só acontece se elas participarem, a paixão depende deles”, afirma Pereira.


Diante dessa necessidade Leive Rodrigues, da Paróquia São Vicente de Paulo e São Tiago Apóstolo decidiu participar, recebendo o papel de Pilatos. “Minha primeira experiência e está sendo fantástica, mexe muito com o emocional no momento de entrar no personagem, viver esse personagem”, conta Rodrigues.
O sentimento de amor a Deus também fala mais alto em Maria Vicente, da Paróquia São José e Santo Eduardo com o papel de Maria – mãe de Jesus, que sente uma grande responsabilidade em encenar a mulher que muitas se inspiram e que tentar passar um pouco de como ela era, para Maria Vicente é um desafio.

Desafio este que Erivelton Santos, da Paróquia de Todos os Santos, com muita alegria realiza há 4 anos, no papel de Jesus Cristo e tem grandes expectativas para a apresentação. “Tenho a certeza que será uma coisa mágica porque fazemos com amor. Meu personagem não é mais importante que outros, mas precisa a todo tempo estar atento as outras pessoas”, destaca Santos.
O grande dia
Muitas são as expectativas para apresentação que neste ano será realizada no dia 06 de abril – sexta feira da Paixão. “A expectativa é sempre as melhores, a gente sempre espera agradar o povo e acima de tudo agradar a Deus,” afirma Arthur Fernando, participa há 5 anos e pela primeira vez fará João Batista.
Ao logo dos 12 anos de encenação, a paróquia recebe muitas pessoas e de diversos lugares, o público procura o melhor lugar cedo para não perder nenhum momento. “Todo ano é diferente e sempre a gente fica esperando ansioso, nos anos anteriores todos foram ótimos. É muito corrido mas gratificante”, declara Rogerio Trindade, participante da paróquia de Todos os Santos, no ano de 2010 atuou como apóstolo.
A organização espera neste ano aproximadamente 5.000 pessoas, no ano de 2011 a paróquia recebeu aproximadamente 4.200 pessoas.

Serviço:
Local: Paróquia de Todos os Santos
Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia Embu das Artes
Dia: 06/04/2012 ás 18:00

Uma forma de evangelizar

Com dedicação e determinação a equipe da encenação da Paixão de Cristo preparam-se para a apresentação

A encenação da Paixão de Cristo da Paróquia de Todos os Santos, em Embu das Artes acontece há 12 anos e é referencia na Forania de Embu. Milhares de fiéis participam todos os anos da apresentação, um público que se emociona com cada passagem de Cristo na terra, com os momentos de cura e milagres, superação e exemplo de amor.
Para uma boa encenação é fundamental a participação de muitas pessoas que são voluntarias nesse trabalho de evangelização, pessoas que dedicam os domingos para ensaios e fazem tudo por amor a Jesus Cristo e a missão de evangelizar. No ano passado, 70 atores e figurantes estiveram envolvidos na encenação.
Muitas são as expectativas para apresentação que neste ano será realizada no dia 06 de abril – sexta feira da Paixão. “A expectativa é sempre as melhores, a gente sempre espera agradar o povo e acima de tudo agradar a Deus,” afirma Arthur Fernando, participa há 5 anos e pela primeira vez fará João Batista.

Os atores Arthur Fernando e Erivelton Santos na cena do batismo de Jesus Cristo

Com dedicação e amor a Deus, Erivelton Santos há 4 anos no papel de Jesus Cristo e demonstra satisfação em fazer o personagem que para ele é muito importante pois tudo que toca, que vive Jesus se faz presente e as expectativas são muitas. “Tenho a certeza que será uma coisa mágica porque fazemos com amor. Meu personagem não é mais importante que outros mas precisa a todo tempo estar atento as outras pessoas”, destaca Santos.
Por outro lado, também tem atores que sentem motivados a participar sabendo da necessidade e consciência de falta de pessoas e sentem vontade de colaborar para uma boa evangelização por meio do teatro. “Minha primeira experiência e está sendo fantástica, mexe muito com o emocional no momento de entrar no personagem, viver esse personagem”, comenta Leive Rodrigues, com o personagem de Pilatos.

Helder Alvares e Erivelton Santos encenando a cura do cego

Pastoral da Comunicação em Ação

A equipe da Pastoral da Comunicação da Paróquia de Todos os Santos iniciou as atividades pastorais em novembro de 2011!

“Os católicos não deveriam ter medo de abrir as portas da comunicação social a custo, de tal forma que a sua Boa Nova possa ser ouvida sobre os telhados do Mundo”.
João Paulo II (Mensagem na celebração do 34º Dia Mundial das Comunicações Sociais)

Quem somos e o nosso objetivo:

O que é PasCom: É a pastoral da acolhida que busca estabelecer relação direta com as demais pastorais a fim de ter inter-relações humanas por meio da comunicação. Atua dentro da comunicação eclesial com ações voltadas para comunidade de forma participativa e democrática.

 

Objetivo: Evangelizar através da comunicação pelos meios de comunicação social. Com o intuito de manter os fiéis informados de tudo que acontece na paróquia.

Fazer a divulgação dos eventos e festas que acontecem na Paróquia de Todos os Santos, além de atividades da Diocese.

A PasCom está com propostas como implantação do jornal, divulgações na rádio comunitária e atualizações frequentes do blog da paróquia com mensagens diárias, reflexões da palavra com os seminaristas Rodolfo Marinho e Marcell Santiago, mensagens do Padre Esmeraldo Diniz e também matérias exclusivas com as pastorais.

DIVULGAR É DE SUMA IMPORTÂNCIA

        Conforme A Vossa Santidade, o Papa, João Paulo II: “Evangelizar é comunicar”. Desta forma a pastoral da comunicação trabalha com a notícia voltada para as atividades paroquiais, a fim da divulgação interna e externa da comunidade. Com o intuito de  levar ao conhecimento público todos as atividades promovidas pela Igreja Católica e assim levar a palavra, evangelizar por meio da comunicação buscando as graças e o caminho de Deus.

Em caso de dúvidas ou sugestões escreva para comunicação_pastoral@hotmail.com

Email da Secretaria Paroquial : todosossantosembu@terra.com.br / telefone : 11 4782-4849 – Naiara

Horários das Santas Missas

07:00 : Comunidade Santa Emília

09:00:Comunidade Sr Bom Jesus

11:00 : Comunidade Santa Emília

18:00: Comunidade Santa Emília

Deus abençoe a Todos !


Equipe PasCom
“Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”
(Marcos 16,15)