Lembretes

Sábado:

Venham e tragam toda a familia para essa noite de louvor e oração na presença do Senhor entre amigos. Contamos com a participação de todos.

Local – Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia –  Embu das Artes

Horario – 18h30

Dia – 28/04/2012 ( sábado)

Valor – R$2,00

Domingo:

O Lançamento do site do Ministério Mais QAmigos será neste domingo, 29/04 a partir das 13h00 em Taboão da Serra. Venha prestigiar e desde já que possamos colocar em oração a vida de cada membro, que eles possam sempre evangelizar por meio da música e assim atingir muitos corações.

Domingo sem missa, semana sem graça

Comunidade Santa Emilia – 7h, 11h e 18hrs.

Comunidade Senhor bom Jesus 9h

Equipe PasCom

Lançamento site Mais QAmigos

O Lançamento do site do Ministério Mais QAmigos será neste domingo, 29/04 a partir das 13h00 em Taboão da Serra. Venha prestigiar e desde já que possamos colocar em oração a vida de cada membro, que eles possam sempre evangelizar por meio da música e assim atingir muitos corações.

Contamos com a presença de todos.

Equipe PasCom

Lual – Paróquia de Todos os Santos


Venham e tragam toda a familia para essa noite de louvor e oração na presença do Senhor entre amigos. Contamos com a participação de todos.

Local – Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia –  Embu das Artes

Horario – 18h30

Dia – 28/04/2012 ( sábado)

Valor – R$2,00

Equipe PasCom

Oração à Nossa Senhora de Guadalupe

Santíssima Mãe de Guadalupe,
que mostrastes vosso amor
e vossa ternura
aos povos do continente americano,
cumulai de alegria e de esperança
a todos os povos
e a todas as famílias do mundo

A Vós, que precedeis
e guiais nosso caminho de fé
rumo à pátria eterna,
encomendamos as
alegrias, os projetos,
as preocupações e os anelos
de todas as famílias

Oh Maria, a Vós recorremos
confiando em vossa ternura de Mãe.
Não deixeis de ouvir
as preces que vos dirigimos
pelas famílias de todo o mundo
neste crucial período da História,
pelo contrário, acolhei-nos
em vosso coração de Mãe
e acompanhai-nos em
nosso caminho
rumo à pátria celeste. Amém.

Que possamos colocar em intenção a vida dos jovens que estiveram no 15º TLC da Paróquia de Todos os Santos, neste final de semana que sejam abençoados e guiados sempre pelo compromisso de evangelizar e levar a palavra onde o testemunho é dado com a propria vida e com as experiencias.

“Leva-me as águas profundas
Aviva-me de novo,Senhor”

Equipe PasCom

Liturgia Diária: Evangelho (João 3,7b-15)

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 7b“Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.
9Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” 10Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11Em verdade, em verdade, te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna”.

15º TLC da Paróquia de Todos os Santos

O 15º TLC da Paróquia de Todos os Santos será realizado nos dias 20,21 e 22 de abril, que possamos nesta semana colocar em oração a vida dos 80 jovens que vivenciaram esses três dias e que as orações possa ser estendida também a cada família. Que Deus conceda a tranquilidade do sair de casa e do retorno ao lar de cada um deles.

Caso alguém ai tenha interesse em participar, procure com urgencia os coordenadores que ainda tem fichas! Não perca essa chance única de estar próximo ao Senhor.

“Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da Sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.”


A Ressurreição e Ascensão de Jesus Cristo ao céu

INTRODUÇÃO:

No Domingo de Páscoa o Senhor ressuscitou como tinha predito, aparecendo a Maria Madalena, aos Apóstolos e discípulos. Ainda que a Sagrada Escritura não o diga, porque resulta evidente, devemos supor que apareceu em primeiro lugar a sua Mãe Santíssima.

A Ressurreição de Jesus Cristo é a festa das festas, o centro ou ponto de referência de todas as celebrações. É a Páscoa do Senhor, a passagem do Senhor, o triunfo definitivo de Deus entre os homens.

Depois de passar quarenta dias com seus discípulos, o Senhor subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. A Igreja celebra este acontecimento na festa da Ascensão do Senhor.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. A Páscoa é a festa mais importante do ano

A festa da Páscoa comemora o triunfo de Jesus Cristo ressuscitado. A Igreja a celebra com tanta solenidade, porque é o ponto alto da realização de nossa Redenção, a confirmação da nossa fé.

Efetivamente, Jesus Cristo -com sua morte- nos livrou do pecado e nos reconciliou com Deus, e por sua ressurreição nos abriu as portas do céu. A ressurreição de Jesus é o fundamento da religião cristã, porque é o argumento principal da divindade de Cristo e da verdade de nossa fé.

2. A ressurreição de Cristo é um fato histórico

A ressurreição de Cristo consiste em que sua alma voltou a se unir ao mesmo corpo, saindo vivo e vitorioso do sepulcro, para nunca mais morrer. Ainda que o acontecimento em si não tenha sido presenciado pelos homens, este milagre é um fato histórico que muitas testemunhas puderam comprovar porque, o que antes tinha morrido, aos três dias apareceu-lhes vivo e com seu mesmo corpo, agora glorificado.

Por sua vez, a ressurreição de Cristo transcende a história porque este milagre -não presenciado por homens- é objeto de nossa fé, atestado pelos anjos, por Cristo e pela Escritura, sendo a confirmação da divindade de Jesus e da verdade de sua doutrina; além disso, sua força salvífica abarca todos os homens e toda a história.

3. Jesus Cristo subiu ao céu e está sentado à direita do Pai

Esta afirmação de nossa fé significa que Jesus Cristo, transcorrido o tempo de sua vida na terra, ascendeu vivo e glorioso ao céu, onde -enquanto homem- compartilha o poder e a glória com o Pai e o Espírito Santo.

4. A Páscoa é o triunfo de Cristo

Durante a Semana Santa contemplamos grandes mistérios de amor e de dor: a quinta-feira santa está centrada no Mandamento novo de amor, na instituição da Eucaristia e do sacerdócio; a sexta-feira santa é a celebração da paixão e morte; o sábado santo é o dia da expectativa, cheia de recolhimento e esperança.

Nesta impaciente espera, a Igreja celebra a ressurreição durante a noite do sábado ao domingo: a Vigília Pascal. É a “noite sacratíssima”, na qual se acende o círio pascal, que simboliza a luz de Cristo; as leituras bíblicas rememoram as grandes intervenções de Deus com o homem, desde a criação até a redenção; renovam-se as promessas do batismo. O aleluiarepetido três vezes, o som dos sinos e os acordes do órgão, as luzes, as flores, tudo irrompe como a vida nova de Cristo ressuscitado.

5. Jesus Cristo vive e é o fundamento da vida cristã

O círio pascal recorda que a luz do mundo é Cristo, que morreu mas ressuscitou, e vive e permanece conosco na Igreja e na Sagrada Eucaristia. Assim como Cristo, que começou com sua ressurreição uma vida nova, imortal e gloriosa, assim também nós devemos ressuscitar espiritualmente, renunciando para sempre ao pecado e amando só a Deus e ao que nos leva a Ele.

A diferença fundamental que distingue A Jesus Cristo dos fundadores de outras religiões é que ninguém se proclamou Deus, Salvador do mundo e centro de todos os corações, como Ele o fez, apelando a seus milagres, sobretudo à ressurreição, como garantia de suas palavras e doutrina.

6. Cada domingo celebramos a ressurreição de Jesus Cristo

Jesus Cristo morreu na cruz na sexta-feira santa e ressuscitou no domingo da Páscoa da Ressurreição. Por isto chamamos dedomingo o dia do Senhor: porque neste dia, o Senhor ressuscitou. Mas é tão grande o milagre da ressurreição que não só celebramos este dia, mas todos os domingos do ano. Cada domingo nós cristãos vamos à Missa para celebrar a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.

7. PROPÓSITOS DE VIDA CRISTÃ

· Fazer muitas vezes ao dia, atos de fé na ressurreição de Cristo e de sua presença entre nós, especialmente na Sagrada Eucaristia.

· Viver o domingo como a celebração da ressurreição de Jesus Cristo.

Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela

Fonte: Livro “Curso de Catequesis” da Editora Palabra, España

Tradução: Pe. Antonio Carlos Rossi Keller

Foi por você, foi por amor a todos

A 12º Encenação da Paixão de Cristo aconteceu ontem dia 06 de abril, na Paróquia de todos os Santos localizada na Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia, Embu das Artes e contou com a participação de muitos fiéis. Referencia na Forania de Embu, a encenação contou com a participação de 87 atores e 18 pessoas na organização. Com o apoio da guarda metropolitana fazendo a segurança e organizando o transito, a prefeitura de Embu das Artes que disponibilizou as cadeiras e o vereador Professor Silvino.

“Acreditamos sempre na misericórdia de Deus e que tudo vai dar certo como sempre, estou calma com relação a encenação”, destaca Milena Prado, participa a 7 anos e neste ano esteve a frente da organização.
O elenco encenou com emoção e dedicação a passagem de Jesus Cristo na terra, morte e ressurreição.
“A encenação sempre é muito boa, estou gostando bastante este ano”, conta Graça Dantas, participante da Paróquia de Todos os Santos e assistiu a encenação.
Bastidores
O elenco iniciou o dia da apresentação em preparação com a espiritualidade com o Padre Esmeraldo Diniz pela manhã, e logo após dividiram as tarefas na organização de palco, cenário e roupas e contou com a dedicação e empenho de todos que auxiliaram cada um a seu modo.
Pela tarde, aconteceu o último ensaio que antecedeu a encenação cena a cena foi trabalhada e corrigindo eventuais erros, o elenco composto parcialmente com pessoas encenando pela primeira vez em palco.

“Tenho muitas expectativas boas, por ter pessoas novas que querem novos desafios criando um personagem. Estou tranquilo para apresentação a noite”, afirma Joelmes Ferreira, atua a três anos e neste ano fez o papel de Herodes.

O Tempo de Deus

O tempo é algo que rege a nossa vida, pelo tempo nos organizamos. Nossas atividades humanas estão ordenadas ao tempo, um tempo determinado. Para nós cristãos, o nosso tempo deve ser determinado por Deus, cumprido de acordo com a sua vontade: o tempo Dele e não o nosso. Aceitar o tempo de Deus é aceitar o que Ele prepara e o que Ele permite.

O Eclesiástico nos ensina: “Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus: tempo para nascer, e tempo para morrer; tempo para plantar, e tempo para arrancar o que foi plantado; tempo para matar, e tempo para sarar; tempo para demolir, e tempo para construir; tempo para chorar, e tempo para rir; tempo para gemer, e tempo para dançar; tempo para atirar pedras, e tempo para ajuntá-las; tempo para dar abraços, e tempo para apartar-se. Tempo para procurar, e tempo para perder; tempo para guardar, e tempo para jogar fora; tempo para rasgar, e tempo para costurar; tempo para calar, e tempo para falar; tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz”. (Eclo 3,1-8).

Tudo tem seu tempo. Por isso não podemos desperdiçar a vida com coisas inúteis. É preciso ter compromisso com o tempo, compromisso com Deus, compromisso com os irmãos e conosco mesmos.

Certa vez Jesus perguntou aos discipulos: “Quem sou eu?”. A resposta vem de Pedro: “Tu és o Cristo de Deus”. Jesus proíbe a Pedro e os outros que digam quem Ele é, porque primeiro é preciso compreender em que sentido Ele é o Cristo. A referência é para a “Hora da Paixão”. (Cf. Mt 16,13-20).

Jesus ora porque só na fé Ele pode ser reconhecido. Pedro, embora professe de modo grande a sua fé, também não compreende no primeiro momento a postura e a identidade de Jesus. Jesus adiante irá rezar para que Pedro confirme na fé os seus irmãos, para que compreendam o sentido de sua Paixão.

Isto acontece no tempo atual, nos dias de hoje, na Igreja, enquanto caminhamos na fé sempre temos a necessidade de sermos confirmados na fé por Pedro, no magistério, na Doutrina e na Palavra.

Jesus nos questiona: “Quem sou eu?” Ele espera de nós uma resposta pessoal, espera também que tomemos parte em sua Paixão e Morte. Espera ainda que cada um se comprometa com Ele e com sua obra.

O Salmista canta: “Vós fostes Senhor um refugio para nós” (Cf. Sl 42). De fato, Ele é nosso refúgio seguro, mas, Nele nos refugiamos porque realmente necessitamos de segurança ou porque simplesmente mascaramos o que realmente somos atrás da Santa Imagem de Deus?

Iniciamos a Semana Santa. Estamos vivendo um tempo especial, porque não dizer um tempo de Deus. Mais do que celebrações, a Semana Santa é marcada por este tempo de salvação, que nos convida a parar e penetrar nos mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Cristo Jesus.

Iniciamos a Semana Santa, iniciamos um tempo de retiro.

Esta santa semana é tempo de nos refugiar em Deus, por isso levemos nestes dias alguns pontos para a nossa reflexão:

  • Tenho vivido o tempo de Deus ou o meu?
  • Tenho me comprometido com a obra do Pai realizada na Paixão, Morte e Ressurreição do Salvador?
  • Quem é Jesus para mim?
  • Estou realmente aberto à ação de Deus na minha vida ou vivo desta ação apenas em momentos?

A Semana Santa é este tempo de reinflamar o carisma de Deus que há em nós (Cf. 2Tm 1,1-3.6-12). É tempo de nos unir à Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, com Ele morrer e ressuscitar para a vida nova, “porque Ele levou sobre si as nossas dores…”

Sem. Rodolfo Marinho de Sousa

12º Encenação da Paixão de Cristo

Momento de reflexão e emoção marcará a 12º encenação da Paróquia de Todos os Santos
Um dos momentos mais bonitos vivenciados pela igreja católica é relembrar a trajetória de Jesus Cristo na terra, os milagres e curas para os fiéis é um momento de emoção no qual sentem o amor de Cristo por toda a humanidade.


A tradicional encenação da Paixão de Cristo acontece há 12 anos na Paróquia de Todos os Santos – localizada na Rua Capri, 53 Jardim Santa Emilia no Embu das Artes. E é referencia da forania de Embu, destaca-se pela estrutura disponibilizada pela prefeitura da cidade, mas também pelo empenho e dedicação dos envolvidos na apresentação. São longos 4 meses de preparação e trabalho intenso, neste ano conta com a participação de 87 atores e 18 pessoas na organização.
“O apoio acima de tudo é da paróquia como um todo e o Padre Esmeraldo Diniz nos deu todo o apoio, também o presidente da câmara Vereador Profº Silvino junto com a Rosana dos Santos Almeida e é por meio deles que conseguimos o palco com toda a estrutura e som, temos também o apoio da prefeitura junto com a guarda municipal e da policia militar para fazer toda a segurança”, ressalta Claudineio Pereira, organizador e diretor da encenação.
Os ensaios aconteceram todos os domingos nas Comunidades de Santa Emilia e do Senhor Bom Jesus, e as dificuldades foram muitas, principalmente a falta de pessoas para encenar. “Umas das dificuldades é a parte financeira, porque a paróquia não tem condições de ajudar. E a outra dificuldade são as próprias pessoas participar, pois a encenação só acontece se elas participarem, a paixão depende deles”, afirma Pereira.


Diante dessa necessidade Leive Rodrigues, da Paróquia São Vicente de Paulo e São Tiago Apóstolo decidiu participar, recebendo o papel de Pilatos. “Minha primeira experiência e está sendo fantástica, mexe muito com o emocional no momento de entrar no personagem, viver esse personagem”, conta Rodrigues.
O sentimento de amor a Deus também fala mais alto em Maria Vicente, da Paróquia São José e Santo Eduardo com o papel de Maria – mãe de Jesus, que sente uma grande responsabilidade em encenar a mulher que muitas se inspiram e que tentar passar um pouco de como ela era, para Maria Vicente é um desafio.

Desafio este que Erivelton Santos, da Paróquia de Todos os Santos, com muita alegria realiza há 4 anos, no papel de Jesus Cristo e tem grandes expectativas para a apresentação. “Tenho a certeza que será uma coisa mágica porque fazemos com amor. Meu personagem não é mais importante que outros, mas precisa a todo tempo estar atento as outras pessoas”, destaca Santos.
O grande dia
Muitas são as expectativas para apresentação que neste ano será realizada no dia 06 de abril – sexta feira da Paixão. “A expectativa é sempre as melhores, a gente sempre espera agradar o povo e acima de tudo agradar a Deus,” afirma Arthur Fernando, participa há 5 anos e pela primeira vez fará João Batista.
Ao logo dos 12 anos de encenação, a paróquia recebe muitas pessoas e de diversos lugares, o público procura o melhor lugar cedo para não perder nenhum momento. “Todo ano é diferente e sempre a gente fica esperando ansioso, nos anos anteriores todos foram ótimos. É muito corrido mas gratificante”, declara Rogerio Trindade, participante da paróquia de Todos os Santos, no ano de 2010 atuou como apóstolo.
A organização espera neste ano aproximadamente 5.000 pessoas, no ano de 2011 a paróquia recebeu aproximadamente 4.200 pessoas.

Serviço:
Local: Paróquia de Todos os Santos
Rua Capri, 53 – Jardim Santa Emilia Embu das Artes
Dia: 06/04/2012 ás 18:00